Nova política do DOJ para incentivar a conformidade corporativa

“The Antitrust Division is committed to rewarding corporate efforts to invest in and instill a culture of compliance,” said Assistant Attorney General Delrahim. “The Division’s Leniency Policy has long provided the ultimate credit for effective antitrust compliance programs. Beyond leniency, recently we have credited prospective compliance efforts at sentencing. Crediting compliance at charging is the next step in our continued efforts to deter antitrust violations and reward good corporate citizenship.”

en flag
nl flag
fr flag
de flag
pt flag
es flag

Comunicado à Imprensa

Divisão Antitruste anuncia nova política para incentivar a conformidade corporativa

Durante as observações de hoje [11 de julho de 2019], o Procurador-Geral Assistente Makan Delrahim anunciou a nova política da Divisão Antitruste para incentivar a conformidade antitruste. Pela primeira vez, a Divisão considerará o cumprimento na fase de imputação das investigações criminais antitrust, uma alteração que se reflecte no Manual da Justiça. A Divisão também anunciou revisões ao seu Manual e publicou um documento para orientar a avaliação dos promotores de programas de conformidade corporativa na fase de acusação e sentença.

“A Divisão Antitruste está comprometida em recompensar os esforços corporativos para investir e incutir uma cultura de conformidade”, disse o Procurador-Geral Adjunto Delrahim. “A Política de Leniência da Divisão há muito tempo forneceu o crédito final para programas eficazes de conformidade antitruste. Além da clemência, recentemente creditamos esforços de conformidade em potencial na sentença. O crédito da conformidade na cobrança é o próximo passo em nossos esforços contínuos para dissuadir violações antitruste e recompensar a boa cidadania corporativa. Continuamos também dedicados à previsibilidade e transparência. Como tal, em conjunto com as mudanças políticas de hoje, a Divisão emitiu um documento de orientação pública que descreve o que os promotores procuram ao avaliar programas de conformidade antitruste.”

O Manual da Justiça explicava anteriormente a política da Divisão Antitruste “de que o crédito não deve ser dado na fase de cobrança por um programa de conformidade”. Esse texto foi apagado.

A Divisão também atualizou seu Manual. As revisões abordam a avaliação de programas de conformidade no estágio de acusação e sentença, e processos de Divisão para recomendar acusações, acordos de alegação e seleção de monitores.

Pela primeira vez, a Divisão também publicou um documento de orientação que se concentra na avaliação de programas de conformidade no contexto de violações criminais da Lei Sherman. Destina-se a auxiliar os promotores da Divisão na avaliação dos programas de conformidade, tanto na fase de acusação quanto na sentença das investigações, e a fornecer aos oficiais de conformidade e ao público maior transparência da análise de conformidade da Divisão. Para esse efeito, contém duas seções: a primeira diz respeito à avaliação de programas de conformidade antitrust na fase de cobrança e a segunda aborda considerações de conformidade na sentença.

Leia o lançamento completo na Divisão Antitruste anuncia Nova Política para Incentivar a Conformidade Corporativa

Avaliação de Programas de Compliance Corporativo em Investigações Criminais Antitruste — Julho 2019

Avaliação de Programas de Conformidade Corporativa em Investigações Criminais Antitruste - Julho 2019 (PDF)

Leitura adicional

DOJ anuncia alterações em sua política de programa de conformidade

Automatização de eDiscovery: uma estrutura estratégica

Fonte: ComplexDiscovery